16 de junho de 2009

 

Para a história do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior

Arquivo ERR@
Em 1992 o semanário Gazeta do Interior satirizava assim o que se passava com o Museu Albicastrense. A situação já está ultrapassada? O que soa do interior do Museu de quando em vez não nos acalma.

Etiquetas:


Comments:
Afinal o que é que se passa com o museu. Aquilo não está entregue a uma comissão de amigos?
 
Diga antes, Amigalhaços
 
Na minha opinião penso que o Museu deveria mudar de nome, em vez de MFTPJ poderia passar a ser denominado de Museu dos Trapos, já não digo Museu do Traje se não ainda teríamos aí a assombração da outra senhora (bater três vezes na madeira, para não dar azar).
Longe vão os tempos em que se poderia visitar o Museu e ver a sua colecção arqueológica. Recordo-me da antiga entrada do Museu com o solo paleolítico e toda a sua envolvente relacionada com a pré-história. É certo que se mudam os tempos, mudam-se as coisas. Mas porque será que nesta cidade quando se muda, é sempre para pior?
Um Albicastrense atento
 
Estão por lá as pedras da Egitânea? Sabem?
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?