4 de agosto de 2008

 

É urgente voltar a dignificar a antiga Sé egitaniense
















Maus tempos correm para os lados da Sé de Idanha-a-Velha. E tudo começa com uma tentativa de valorizar o monumento. Na altura substituiram o chão de granito por outro de madeira, puseram novas portas e esvaziaram o interior com o maior bem que a antiga basilica tinha, a epigrafia romana. Pois foi a maior colecção epigráfica portuguesa achada num só local foi desmembrada e retirada para um contentor e a maior parte foi atirada para dentro da cerca da familia Marrocos.
Hoje são bem visiveis os resultados dessa operação. O interior da Sé está nú e o pouco mobiliário que possui é uma estrutura gigantesca que serve para mudar as lâmpadas e um conjunto de biombos e cadeiras atirados para os cantos, para além de esfregonas, pás e vassouras. É nisto que está transformado o interior deste monumento, numa mera arrecadação. Os outros resultados visiveis desta última intervenção do IPPAR, pode também ver-se na qualidade (abaixo de zero) das novas portas. Ao lado da Sé a norte das ruínas perfiladas como de uma parada militar se tratasse 3 longas filas de inscrições romanas, aos elementos e à cobiça de muita gentinha. Isto ainda vai dar maus resultados, Deus queira que não, mas....

Etiquetas: ,


Comments:
Reabilitação dos Sors arquitectos das maozinhas de prata, com o apoio de um dito cujo ex-arqueólogo local,mais o sim do IPPAR eis o resultado. Brilhante. Pobre Idanha. As epígrafes é para serem vendidas?
 
Boas senhor Joaquim, à tempos fiz-lhe esta mesma pergunta, como foi possivel desmembrar o interios da Sé de Idanha-a-Velha, e qual a entidade responsável por tal obra?!!!
Idanha-a-Velha representa a existencia de tantos povos de tantos hábitos e culturas, mas infelizmente não existe alguêm com consciência suficiente para defender o património arqueológico existente naquele local, e muito desse patrimónioo já foi saqueado!
HÁ tempos fiz uma pequena visita a Idanha-a-Velha e deparei-me com aquela estrutura metálica que guarda algumas pedras no seu interior, foram tantas as voltas que dei que não consegui entrar para melhor poder ver o que lá está!
 
QUIAS FORAM OS CUSTOS REAIS DISTO? QUE É QUE SE GANHOU?
 
Infelizmente o IPPAR (ou lá como se chama agora...)já nos habitou a estas aberrações é só mais uma.
 
Nada a estranhar, isto é só a continuação dos estragos que o IPAR ou lá como se chama agora continua a fazer. Basta lembrar o que fizeram ao castelo de Belmonte, nas ruínas de Centum Cellas, etc.
 
Resistir, denunciar, criticar e propor qualidade como fazem em Castelo Branco uma minoria RESPONSÁVEL E CREDIVEL.
 
O culpado agora é o Governo

FALTA HOMOLOGAÇÃO DO MINISTÉRIO DA CULTURA
Chafariz de São Marcos aguarda luz verde para obras
A autarquia vai criar na zona um jardim. O objectivo é proteger o Chafariz, mas para que projecto avance falta luz verde do Governo"
Vejam lá ... é a grande nova de Castelo Branco.

O culpado agora é o Governo Vá lá deputados, Vá lá menino de oiro,

Como diz Mestre Pedro Salvado: Havia na cidade grande do Ponsul,
uma espécie de património...
Ricardo
 
conhecendo o arquitecto que fez as alterações, ve-se bem a ignorancia geral do povo portugues em tudo o que toca à preservação do patrimonio e historia da arquitectura portuguesa.
é a mobilia que salva um lugar ou a beleza da sua construção, o seu espaço lugar de reflexão divina.
fiquei chocada com os seus comentarios. falta de bom senso dos arqueólogos...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?