15 de março de 2012

 

Catedral assassinada...aos poucos... e metodicamente


Este belo e oportuno apontamento do Paulo Archer reflecte um pouco do que estão fazendo á antiga catedral da Egitânia. Mesmo assim foi muito meigo.
Pela minha parte serei bem mais duro.
 Também eu quis visitar a exposição, mas não tive a sorte do Paulo pois o técnico de turismo presente arranjou logo alí uma desculpa que a porta estava em risco de cair e apelou á minha compreensão para justificar o facto de não me abrir a porta da catedral.
Pelos vistos outros detrás de mim tiveram melhor sorte, mas quem merece, merece e ao fim ao cabo eu sou "o critico". Na verdade as portas que estão postas na Sé não oferecem qualquer qualidade nem segurança, mas igualmente é verdade que as antigas (postas nos anos 50) estão quase como novas e guardadas num local não muito distante. Pergunto porque não as substituiem? Imagino o preço destas portas novas... Por favor façam regressar as portas "velhas" que são bonitas e mesmo com a idade estão muito mais conservadas que as novas.
"Oficialmente" também deixaram de chamar Sé ao monumento para o apelidar de igreja de Santa Maria. Porquê? Com que autoridade? Qual o intuíto?
Toda a iluminação envolvente está apagada há meses, porquê?
E mais não digo...por enquanto. 
Acho lamentavel que as Instituições e Associações que representam as pessoas de Idanha-a-Velha, no caso a Junta de Freguesia e a Liga dos Amigos da Freguesia nada digam. Pelos vistos para eles está tudo bem.

Etiquetas: , ,


Comments:
Se a porta caísse, seria a melhor forma de todos verem a exposição e não só alguns. Ou ficariam incomodados com o que poderias ver e comentar? Mas se um Joaquim Batista incomoda muita gente, então teremos de juntar a nossa à tua voz, para incomodarmos ainda muitos mais! A bem da Egitânia!
Manuel Leitão
 
O Investigador e Historiador Paulo Archer é já dos poucos que consegue entrar na Milenar Catedral de Idanha-a-Velha !!!
Em Monsanto, apesar das portas estarem fechadas a estranhos, graças ao nosso modesto empenho, Paulo Archer entrou na Casa que foi de Fernando Namora e respirou e sentiu os segredos das coisas que constituem a Alma Viva da presença mítica do saudoso escritor e grande Amigo de Monsanto e sócio fundador da Rádio Clube de Monsanto. Mas, Paulo Archer, também, viu os atentados que, de forma impune, se continuam a praticar contra o Património Secular e Histórico deste território classificado como Monumento Nacional.
Mas que importa a classificação se não se respeita e salvaguarda a identidade de um Povo???
Tenho saudades de Fernando Namora, das suas conversas e das suas influências que conseguia exercer junto do então Secretário de Estado da Cultura, David Mourão Ferreira, para minimizar certos impactos negativos nesta Aldeia ainda proclamada de Mais Portuguesa...
Já não há políticos nem dirigentes, locais ou nacionais com SENSIBILIDADE. O seu propósito mais parece orientado para o corte das nossas raízes e matar as nossas gentes e encerrar, definitivamente, todas as portas das nossas aldeias, riscando a sua Identidade do mapa administrativo e não só...
Joaquim Fonseca
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?