7 de outubro de 2010

 

Parabéns Dr. António Salvado


Retiramos da imprensa, basta buscar no Google António Salvado, antigo director do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, vai ser o poeta homenageado durante o XIII Encontro de Poesia Ibero-Americana, amanhã e sexta, no Teatro Liceo, em Salamanca. O Encontro é coordenado por Alfredo Pérez Alencart de quem já editamos um dia um excelente poema sobre São Pedro de Vir a Corça, capela de Monsanto.


Isel Rivero (Cuba), Bustos Aguirre (Colombia), Carlos Mestre (Espanha), Óscar Rodríguez (Espanha), Marcelo Gatica (Chile), Frank Estévez (Espanha), Juan Carlos Galeano (Colombia), Boris Rozas (Argentina-Espanha), Margarita Arroyo (Espanha), Guillermo Alonso (Espanha), Ernesto Román Orozco (Venezuela) Carlos Nejar (Brasil), e Alvarado Tenorio (Colômbia) são os participantes. O Alfredo Pérez Alencart, apresentará uma ampla antologia de António Salvado, com o título “A Hora Sagrada “com desenhos do pintor Miguel Elías.

António Salvado nascido em Castelo Branco em 1936, é poeta, ensaísta e antologiador. Está traduzido em castelhano, francês, italiano, inglês e japonês. Verteu para português, entre outros, os poetas Cláudio Rodriguez, Ricardo Paseyro ou António Colinas. Licenciado em Letras tem dividido a sua vida profissional pelo ensino e pela museologia. Para a critica do “Diário de Notícias”, Maria Augusta Silva: «Numa leitura (ou releitura) da poesia de António Salvado sente-se o quê? Uma estética do sentir? Uma estética formal? Ambas, por certo, e fazem-se num casamento de equilíbrios, prestando justiça a Schiller quando filosoficamente advoga que, no ser humano, distinguem-se o "impulso sensível" e o "impulso formal", um e outro reciprocamente moderadores no intento da sonhada harmonia. É essa grande harmonia regeneradora que se desenvolve na obra poética de António Salvado.”

Uma última grande coisa., António Salvado foi o meu director e Mestre enquanto funcionário do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior ligando-me a ele e a toda a sua família, inúmeros laços de amizade e de cumplicidade. O seu papel e trabalho prático e teórico na museologia da região tarda em ser reconhecido por quem de direito. Alguns esquecem ou plagiam à descarada, eu não.

Parabéns meu caro Mestre.

Etiquetas: , ,




Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?