11 de março de 2008

 

Convites e convidados

A pedido de várias pessoas publico o programa provisório do Programa do Congresso de Arqueologia.). O meu amigo Luís Lourenço afirma que: A ausência de convite ao autor da "Carta Arqueológica da Freguesia de Idanha-a-Velha", entre outros, não se entende.». Primeiro: Não sabia que isto tinha sido por convite. Segundo: Se assim foi quem convida quem e porquê. Terceiro: Qual foi o critério ou os critérios dos convites? Amiguismos? Escolas arqueológicas? Universidades? Câmaras Municipais? Períodos culturais? Perfis académicos e de investigação? Quais?

Poderão alguns pensar que estou revoltado ou chateado por não ter sido… enfim…convidado. Talvez. Sabem nós ainda somos do tempo em que isto das faladuras em encontros e congressos de arqueologia era para todos aqueles que pagavam e queriam realmente participar. Agora não. É como nos casamentos. Como diz o povo a bodas e baptizados só vão os convidados. Mas eu vou. Podem estar descansados que pago a...inscrição para os recentes amigos do Museu

PS- A lista dos convidados estrangeiros ( e sem desprimor por ninguém) é um bocadinho pró fracote não é? Resta-me dizer que, no meu tempo, ao Museu Tavares Proença Júnior afluíram para colaborar em variados projectos dezenas e dezenas de arqueólogos de França e de Espanha. O meu Amigo Dr. Luís Raposo foi testemunho disso. Pergunto. Onde é que estão e porque é que não foram convidados. Rapazes e meninas: Têm de aprofundar a plataforma.


17 Abril

Manhã

9.00h. Recepção dos congressistas
9.30h. Abertura

10.00h. Conferência de abertura
Martin Almagro Gorbea, RAH, UISPP, UCM
11.00h. Assinatura de protocolos para a investigação e museografia
12.00h. Inauguração da exposição “Pretérito Perfeito” e visita ao MFTPJ

Tarde

Painel 1 – Francisco Tavares Proença e a aurora da arqueologia em Portugal
Presidente da Sessão: José D’Encarnação, UC
14.30 - Carlos Fabião, UL – A importância do MFTPJ na arqueologia Portuguesa
15.00 - Manuel Lopes Dias, SAMFTPJ – Francisco Tavares Proença Júnior – um intelectual albicastrense
15.15 - Luís Filipe Alves Ribeiro, ITM – Francisco Tavares Proença Júnior: um arqueólogo moderno
15.30 - Intervalo
16.00 - Francisco Sande Lemos, UM. – Martins Sarmento e os Lusitanos: a genealogia do estudo dos castros no século XIX e nas primeiras décadas do século XX
16.15 - José Cristóvão, CMIN – Francisco Tavares Proença e Idanha-a-Velha
16.30 - João Luís Cardoso, UA – A arqueologia portuguesa na primeira metade do séc. XX
16.45 – Debate
Intervalo

Painel 2 – Sociedades de Caçadores-Recolectores
Presidente da Sessão: Carlos Fabião, UL
17.00 – Luís Raposo, MNA – Problemáticas das Sociedades de Caçadores-Recolectores no Vale do Tejo
17.30 – Juan Javier Enriquez, UExt – Principais temáticas regionais de investigação e sua relevância peninsular
17.15 – Pedro P. Cunha, UC, e António Martins, UE – Idade provável dos terraços do rio Tejo na área de Ródão-Arneiro, estabelecida pela integração de dados geomorfológicos, estratigráficos, arqueológicos e de datação por luminescência.
18.00 - António Carlos Silva, IGESPAR, e Luís Raposo, MNA – O Paleolítico do Ródão
18.15 - Pierluigi Rosina, IPT e Sara Cura, ITM e MAP – Crono-estratigrafia do quaternário do vale do Tejo e a problemática dos complexos macrolíticos
18.30 - Debate

18 Abril

Painel 3 – Sociedades agro-pastoris e primórdios da metalurgia
Presidente da Sessão: Victor S. Gonçalves, UL
9.00 - Raquel Vilaça, UC – Da Idade do Bronze à Romanização no Centro Interior: espaços, territórios e sociedades
9.30 - João Caninas, Francisco Henriques, AEAT – O megalitismo na região de Castelo Branco
9.45 - João Luís Cardoso, UA – O megalitismo funerário no Sul da Beira Interior
10.00 – António M. Baptista, IGESPAR - O complexo rupestre do Tejo
10.15 - Hipólito Collado e Luís Nobre, ITM, JE – Arte rupestre e território entre os vale do Tejo e do Guadiana
10.30 - António Valera, ERA – As sociedades complexas do Calcolítico e da I. do Bronze no Centro interior
10.45 – Intervalo
11.00 - Sebastián Celestino Pérez, IAM- CSIC – La influencia de Tartessos en el valle del Tajo
11.15 - Mário Varela Gomes, UNL – Representações de armas na arte rupestre do Vale do Tejo (importância económica, social, cognitiva e cronológica)
11.30 – Ana Catarina Sousa, UL – O sítio arqueológico de Pragais
11.45 – Debate

12.00 – Atelier Andakatu, MAP

Tarde

Painel 4 – Urbanização e arqueologia histórica
Presidente de sessão: Hipólito Collado
14.30 - Pedro Salvado, CMF – Cem anos de arqueologia urbana na cidade de Castelo Branco
14.45 – Pedro Carvalho, UC – A Beira interior na época romana - traços recuperados e linhas de investigação
15.00 - Manuel Leitão, CMCB – O papel de Tavares Proença Júnior para o conhecimento da Epigrafia Romana na região de Castelo Branco
15.15 - João Ribeiro, SAMFTPJ - As escavações arqueológicas no castelo de Castelo Branco – resultados
15.30 - Sílvia Moreira e Pedro Salvado, CMCB e CMF – O triângulo arqueológico Santana /S. Martinho /Sra Mércules – cem anos de investigação arqueológica
15.45 - Carlos Banha, IGESPAR – Ânforas romanas de Idanha-a-Velha na colecção do MFTPJ
16.00 – Debate

Painel 5 – Mesa-redonda – perspectivas da investigação arqueológica e o lugar do Museu de FTPJ
16.45 – Luiz Oosterbeek (coord.), Manuel Oleiro, Aida Rechena, Presidentes de sessão

18.30 – Conferência de encerramento:
Victor S. Gonçalves, UL

19 Abril
Visitas de estudo (em alternativa):
• Castelo Branco (S. Martinho) e Idanha (Centro Cultural Raiano e Idanha a Velha). Almoço em Idanha-a-Nova.
• Vila Velha de Ródão (Foz do Enxarrique, Antas, Sala de Arqueologia, gravuras rupestres) e Mação (Museu, gravuras do Ocreza e Antas). Almoço em Vila Velha de Ródão.

Siglas
Associação de Estudos do Alto Tejo (AEAT), Instituto de Arqueologia de Mérida (IAM), Instituto Terra e Memória, Centro de Estudos de Mação (ITM), Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC) Junta de Extremadura (JE), Museu de Arte Pré-Histórica de Mação (MAP), Museu Nacional de Arqueologia (MNA), Real Academia de História (RAH), União Internacional das Ciências Pré-Históricas e Proto-Históricas (UISPP), Universidad Complutense de Madrid (UCM), Universidad de Extremadura (UExt), Universidade Aberta (UA), Universidade Aberta (UA), Universidade de Coimbra (UC), Universidade de Évora (UE), Universidade de Lisboa (UL), Universidade do Minho (UM), Universidade Nova de Lisboa (UNL), Câmara Municipal de Castelo Branco (CMCB), Câmara Municipal de Idanha-a-Nova (CMID), Câmara Municipal do Fundão (CMF), Sociedade dos Amigos do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior (SAMFTPJ).

Etiquetas:


Comments:
Apesar de ter tido acesso ao programa (provisório) aqui, o qual agradeço desde já, lamento que o congresso em si tenha sido pouco ou nada publicitado nos meios de comunicação.

Além de uma pequena nota no Jornal Reconquista (online), não existe qualquer referência nos sites da Câmara Municipal de Castelo Branco ou do Instituto dos Museus e da Conservação (ao qual o museu está afecto), num site do museu (que não sei se existe, mas se existe eu não encontrei) ou em qualquer fórum de discussão como o "archport" ou o "museum" ou até mesmo na agenda electrónica da revista Al-Madan.

É pena que um congresso deste tipo não tenha a divulgação necessária, tendo em conta que se trata de algo que poderia contribuir para colocação da "arqueologia do interior" no mapa da Arqueologia Nacional.

É claro que se calhar estou a ser injusto com a organização, uma vez que estou apenas a criticar o feedback que tenho da situação em Lisboa, através da internet.

Com os melhores cumprimentos,
Carlos Boavida
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?