15 de fevereiro de 2008

 

Mais Patrimónios ditos judaicos


Património judaico o que é? Aqui fica a pergunta para um debate que se espera profícuo aberto a todos os investigadores, arquitectos e patrimonialistas (oficiais e livres) da nossa região. Só mais uma dúvida: as ‘célebres cruzes que se insculpiram no edificado quinhentista e seiscentista da Beira, de Trás os Montes do Alentejo e de muitos outras zonas serão mesmo um vestígio de práticas cripto judaicas ou de conversão religiosa? Não será forçada esta tradução? Porque é que será que as cruzes são para muitos património judaico e não património cristão? Agora que se anuncia a montagem de uma rota de dito património judaico na Beira Interior o assunto é pertinente. No ano passado, organizado pela Ordem dos Arquitectos houve um seminário sobre arquitectura e património judaico na Beira. Aqui fica um interessante resumo. Como podem ver, os senhores e as senhores investigadores começam a ser sempre os mesmos ainda que saiba que nem todos concordam com estas classificações patrimoniais tão precipitadas como é o caso do nossos Amigos Pedro Salvado, Marcos Osório e outros

(Letras Hebraicas י (yod) ה (heh) ו (vav) ה (heh),  ou Tetragrama YHVH

(Letras Hebraicas י (yod) ה (heh) ו (vav) ה (heh), ou Tetragrama YHVH

Que um ecuménico DEUS nos ajude. SHALÔM

Etiquetas:


Comments:
Em primeiro lugar deixa-me agradecer pela divulgaçao destas actas. Parabens a organização e que sirva de exemplo a outros eventos do género.
Quanto as cruzes ditas "cripo-judaicas" sabes que nao estou convencido. Nao por teimosia, mas pela forma pouco cientifica como o tema tem sido estudado. Pelo menos, os textos das actas demonstram que o tema ja começa a ser abordado de forma rigorosa. Gostei particularmente do artigo "Marcas cruciformes de Aguiar da Beira"(autores: Victor Fernandes e Miguel Leal) pela metodologia utilizada, e forma como conduziram a investigaçao. Seguiram o caminho mais logico. Pessoalmente ja tinha afirmado (ainda no teu antigo blog) que era absolutamente necessario questionar a cronologia das inscriçoes, elaborar uma tipologia e fazer uma cartografia global das mesmas. Ou seja, não vale a pena estudar isoladamente as judiarias. Como diz o ditado "o pior cego e o que nao quer ver". Como se explicam que aparecam as ditas "cruzes cripto-judaicas" em edificios publicos? Como era possivel efectuar amplamente tal pratica sem dar nas vistas e deixar registos nos processos de inquisicao?

Despeco-me com a conclusao dos referidos autores (p.99 das actas):

«Apresentámos aqui alguns exemplos dos diversos tipos de marcas cruciformes que podem ser
encontrados no município de Aguiar da Beira. Como se pode observar, existem as mais distintas
tipologias sobre as quais se podem empregar as mais diversas teorias e explicações: protecção do
espaço habitacional, demarcação territorial, identificação religiosa, entre outras hipóteses que
poderão surgir. Não podemos afirmar que exista uma só função para este tipo de marcas, da
mesma forma que não existe um tipo universal de estruturas que lhes sirva de suporte.
Relativamente à questão da associação entre comunidades cripto-judaicas e marcas cruciformes
esta é uma questão que continuará em aberto. Os dados que temos não nos permitem tirar
conclusões precisas. Apenas o prosseguimento das investigações e a descoberta de novos dados
nos permitirão fornecer respostas e colocar novas perguntas. Mas fica pelo menos a satisfação de
saber que os primeiros passos têm sido dados no âmbito da arqueologia dos “espaços domésticos”
e da história cultural e das vivências sociais. Resta agora prosseguir a caminhada.»


Um abraço

rgaidao
 
Caro Joaquim:

Como deve imaginar este tema das "cruciformes" e assunto que me interessa sobremaneira, no meu municipio tenho tentado fazer a identificacao, documentacao e divulgacao possiveis, sobre estes simbolos do seculo XVI e seguintes.
Concordo com o meu amigo que mais investigacao e necessaria e provavelmente nem todos esses simbolos estaram relacionados com os chamados "cristaos-novos", mas que e curioso e o facto da maioria se localizar em zonas que sabemos terem sido habitadas por antigos judeus, no entanto so o facto destes os obrigados ou por sua vontade terem adoptado a religiao catolica, eles (os simbolos) em nada estam relacionados com judaismo, pois nessa altura oficialmente ja nao os havia judeus em Portugal!

Eu nunca me referi a eles como simbolos judaicos, mas sim simbolos relacionados com "cristaos novos" so que estes sim eram os antigos judeus, nao e verdade?

Toda a informacao que consiga sobre o tema gostaria que a compartilha-se comigo.

Um abraco de amizade dalgodrense.
 
Longe de ser especialista ou sequer grande conhecedor destas coisas, não acredito que tenham subsistido cruzes cripto-judaicas em edifícios públicos.

Cumprimentos a quem faz este bom trabalho e sei visitante silencioso do meu "O Sino da Aldeia".

Jorge G.
 
No artigo "Marcas cruciformes de Aguiar da Beira" (p.92) encontram-se fotos e desenhos, de cruzes gravadas na Fonte Ameada de Aguiar da Beira (imóvel público).

Se a memória não me falha, na antiga cadeia da vila de Marvão (Portalegre), ou em edifício contíguo, também existe um exemplar gravado numa das portas.

rgaidao
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?