31 de outubro de 2007

 

Dos Vetões e dos LusitanosI: Os Sórs Doutores
















O que vamos expor poderá, à primeira vista, ser desprovido de qualquer interesse. Achamos que não. Se tivermos presente a recente paranóia das reais habilitações de alguns dos nossos políticos isto até se inscreve na mesma e, escusada, linha de promoção de inverdades académicas. É, mais uma do tipo da mulher de César … aplicado aos títulos académicos das pessoas. O habitual. Depois, nós é que só criticamos…

Como aqui se publicitou em seu devido tempo teve lugar em Cáceres e em Castelo Branco, entre os dias 22 e 23 de Outubro o Encontro de Arqueologia “Lusitanos e Vetões”, numa organização do Museu de Cáceres e do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior. Pensamos em breve contar alguma coisa sobre este evento que anunciado à escala ibérica ficou-se por uma coisa mais, enfim, lusitânica. Isto é mais ‘pequerrucha’ à escala mental de algumas das organizadoras. Voltemos ao caco símbolo do encontro: o cavalo do ginete. Ganharam como se sabe, a toda a linha, as hostes da Vetónia… madrilenha.

Mas o que queremos chamar a atenção é para esta curiosidade, chamemos-lhe assim, que vem editada no Boletim da Rede Portuguesa de Museus de Setembro. Na secção de encontros lá vem anunciado o encontro lusitânico-vetónico de, note-se de âmbito ibérico. O Programa apresenta uma originalidade face aos outros também publicitados os conferencistas convidados. Muito bem. E lá vem o Prof. Dr. Almagro Gorbea, o Prof. Dr. Marcos Osório (Parabéns Amigo), o Prof. Dr. Jesus Alvarez, a Prof. Drª. Maria João Sanches, o Prof. Dr. Jorge de Alarcão, o Prof. Dr. Manuel Sabino (Boa companheiro). Quem é que deu esta informação? Como é que isto é possível? Já havia os cursos superiores virtuais, as universidades de vão de escada, os mestrados divinos de em dois sitio ao mesmo tempo, faltavam agora também as associações de amigos de museus darem títulos académicos. Ou não foi? Era já só o que faltava. Da lista consta uma só pessoa que é tratado por Drª. É a Senhora Professora Drª Ana Margarida Arruda. Terá sido despromovida? Aqui fica o curriculum para memória futura. Que Trebaruna e Ataegina vos valha…

Etiquetas:


Comments:
Nos outros encontros e eventos anunciados não há indicação de Profs. Drs. Que coisa esquisita.
 
Bem observado.Quem são as deusas lusitanas?
 
Joaquim, não sei se percebi bem, mas quanto aos títulos académicos daqueles que constam da lista, e cnheço pessoalmente alguns deles, pelo menos Jorge de Alarcão é Professor Doutor, hoje há jubilado, e foi aliás durante muito tempo o único catedrático de Arqueologia em Portugal.
 
Estas coisas só acontecem porque há, em Portugal, uma paranóia e deferência imbecil pelos títulos, como se os mesmos fossem uma condição necessária para um excelente desempenho profissional e um sentido ético inabalável.
Uma curiosidade pessoal: eu tinha dois ou três cartões multibanco e num deles tinha o DR atrás do nome. Não me perguntes porque é lá estava porque não sei. Talvez porque na profissão, na altura, eu colocava professor, que era precisamente o que eu fazia. Quando fazia compras, sabes que dava conta de uma atitude diferente, muitas vezes, quando usava esse do DR? O pessoal olhava e falava de uma maneira diferente. Não vou dizer que era sempre mas acontecia muitas vezes. Um fenómeno.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?