25 de setembro de 2007

 

Jornadas e Afins



JORNADAS E AFINS 1

Respondendo ao pedido-desafio do nosso comentador Luís Norberto Lourenço quando, a propósito da realização em Vila de Rei, nos próximos dias 28 e 29 de Setembro, das «1as Jornadas do Património Histórico-Cultural e Arqueológico do Distrito de Castelo Branco» resolveu iniciar o inventário deste tipo de manifestações culturais ocorridos na Beira Baixa-Distrito de Castelo Branco nas últimas décadas, adjunto algumas achegas. Acho um bocadinho descabido que o teu meritório trabalho comece em 1929 com o «IV Congresso das Beiras». Com efeito, o entendimento destes temas –patrimónios históricos-culturais - era outro, muito diferente do de hoje em dia. Tudo começou a mudar a partir de meados da década de setenta do século passado. Em Castelo Branco, no Fundão, na Covilhã, entre outros locais, tiveram lugar um conjunto de encontros, de jornadas, de mesas redondas onde foram abordados temas incluídos na definição de património histórico-cultural á escala do território da antiga Beira Baixa e do Distrito de Castelo Branco.


Relembro, entre vários que não estão na lista do Lourenço, as «1ºs Jornadas sobre Monumentos Militares do Distrito de Castelo Branco» que ocorreram em 1983 , nos dias 11 a 13 de Março. Infelizmente por me encontrar a frequentar um curso de museografia, em Lisboa, não pude estar presente. Foram um êxito pelo que soube que afirmou definitivamente as capacidades organizadoras e de investigação do Dr. António Pires Nunes, a quem dedicaremos um próximo post. Hoje, o Dr. Pires Nunes é um dos grandes especialistas portuguêses em Casteologia, um valor que alguns teimam em não reconhecer e contar. O Dr. Pires Nunes foi militar e é professor. Há outra coisa que igualmente sabe e é especialista cartas das outras, e das de património.

Dessas jornadas sobre monumentos militares ficaram as actas e o resumo das comunicações.















Como podemos constatar através da leitura do programa, nessa década havia muitos investigadores a dedicarem-se ao património histórico construído. Em Castelo Branco havia ainda outros que andavam mais pelo teatro e pela animação cultural. Mais nova ou mais velha, sempre era mais gente do que a família do pessoal dos patrimónios…

JORNADAS E AFINS 2

Não são umas jornadas de agentes do património em autarquias do distrito. Não são umas jornadas de património arqueológico mineiro. Nada disso.
«O evento pretende dar a conhecer parte do Património de cada um dos 11 municípios que constituem o Distrito de Castelo Branco, os quais se têm afirmado pela forte expressão das suas tradições e imponência de muitos dos seus monumentos», lemos a propósito das jornadas de Vila de Rei. Monumentos? Imponência? Imponência? Imponência! Jardim do Paço? Imponência? IM+PO+NEN+CIA. Impotentes?IMPOTÊNCIA?

Etiquetas:


Comments:
Agradeço-te o facto de teres aceite o meu desafio dando um contributo para a discussão. Enquanto uns, como nós, apresentamos trabalho e assinamos por baixo, outros de forma cobarde atacam o trabalho dos outros, não combatendo no plano das ideias, preferindo a ameaça!

P.S.
Vou actualizar o meu texto no blog com o teu contributo.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?