18 de dezembro de 2006

 

O sorriso da mulher monsantina




















Separadas por algumas décadas reproduzem-se duas representações da mulher monsantina, se é que isso culturalmente existe. Na fotografia tirada em 1938, atente-se na legenda, tão ao sabor da ideologia cultural da época: “ O sorriso da bondade monsantina- símbolo nobre da mulher portuguesa”. Nem mais, nem menos. A outra é de autoria do ‘design’ José Luís Madeira e ilustra o livro. “Percursos..., de autoria do Dr. Artur Corte-Real e do senhor Arquitecto Carlos Figueiredo, editado em 1995. A obra foi um produto de divulgação turística da localidade resultante da renovação efectuada na aldeia ao abrigo do programa das Aldeias Históricas de Portugal. Encontramos aí descrições como estas: «Hoje, o Castelo, com todo o imenso Património que sustenta, oferece aos visitantes memórias e ambientes de um passado glorioso. Homens gritaram vitórias, choraram derrotas.» ou esta outra: «Hoje a Vila de Monsanto vive num ambiente de pacatez de uma aldeia da Beira Baixa, num quotidiano singelo. Quem a visita, testemunha um quadro vivo aparentemente imutável....”. Pelo lido de imutável ficaram as metáforas dos textos e essa da Beira Baixa, que administrativamente já não existe desde a reforma de Marcelo Caetano. O sorriso de 1938 realmente, esse foi mutável. Envelheceu.

PS- A fotografia ilustrou o número de abril de 1939, dedicado a Monsanto da revista Turismo. Em 1998, a revista Raia de Castelo Branco, produziu, uma edição fac-similada da revista com um texto de enquadramento de autoria de Pedro Miguel Salvado com o título: “Monsanto-Monte santo?”. Infelizmente tanto o original como a cópia encontram-se esgotados. Prova da mutabilidade do tempo, neste caso do tempo do papel.


Comments:
Tens razão, amigo. Longe de mim evitar essa tua crítica. Tanta coisa mal feita, abandonada, tanta riqueza desprezada. Andei por lá, com o meu espírito aceso, lamentando silêncios e barreiras... mas estas são simplesmente "rosas". Abraço para ti e essa tua paisagem tão preciosa.
 
Como em tudo os personagens vão variando de personalidade consoante o ambiente cultural e político de cada época. Na realidade aquilo que parece imutável não o é efectivamente, nem que mais não seja na forma como nós interpretamos a mesma coisa.
Um abraço amigo e Bom Natal para si e família.
 
Fez bem o Marcelo Caetano em acabar com as Beiras Baixa, Alta e Litoral, so nao teve coragem de restaurar a antiga Provincia da "Beira", englobando-as a todas, pois se o tem feito hoje a Regionalizacao na nossa regiao estava feita!

Um abraco e votos de Bom Natal e festas felizes.
 
Aquele sorriso já prenuncia muita coisa. Vejo ali uma tensão de quem quer mandar a "bondade" às urtigas. Outro pormenor é do mão direita com o polegar para fora que denuncia a pose de quem não vai tocar o adufe.
Quanto ao que escreves, concordo inteiramente.

Boas Festas!
 
Feliz Natal
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?