9 de novembro de 2006

 

Toponimia. Pedido de ajuda

(Imagem retirada de: José Bénard Guedes - A sepultura brasonada de Gil Vaz Lobo Freire, in Tabardo, 1, Lisboa, 2002, p. 96)

Nesta epigrafe uma das vilas de que era senhor este Gil Vaz Lobo Freire era Corisseiro. Infelizmente não encontro em lado nenhum Corisseiro. Alguém me dá uma dica. Deve ficar na Estremadura ou na Beira Alta, mas onde? Possivelmente a povoação terá mudado de nome ou então o lapicida cometeu algum erro a todo o tamanho. Aguardo esperançado notícias.

Comments:
Nunca ouvi falar.
 
Tambem e a primeira vez que vejo tal toponimo.
Provavelmente havera algum erro, ja agora testando os seus conhecimentos, sabe onde fica a vila de Carapito ai referida?

Um abraco e bom fim de semana.
 
Caro Al fica em Aguiar da Beira, se não me engano
 
Nao se engana nao senhor, isso foi so para me rir um pouco consigo, espero que nao se tenha ofendido. O Corisseiro e que e o problema! Mas com sorte haveremos de la chegar.

Bom fim de semana.
 
Gil Vaz Lobo Freire era filho de Gomes Freire de Andrade e de D. Luísa de Moura Leitão, nasceu em 1615 e foi general nas Guerras da Restauração, membro do Conselho de Guerra, alcaide-mor de Vilar Maior e senhor da vila de Carapito, comendador da vila de Puços, governador das Armas do Partido Militar da Beira, governador das Armas do Partido Militar da Estremadura. Faleceu em Castelo Branco em 1678, no estado de solteiro, teve, contudo uma filha bastarda D. Luísa Maria Simoa de Moura Freire, religiosa de Cister e abadessa do convento de Odivelas, que trasladou para este convento os restos mortais de seu pai. A vila de Carapito, no distrito da Guarda, situada no monte do Calvário, no sistema montanhoso da serra do Pisco, foi cabeça de sede de concelho. A esta vila estava anexa a vila de Corisseiro. Teve carta de foral passada pelo Rei D. Manuel I em 1514, com direito a juiz ordinário, vereação, escrivão, mas o concelho de Carapito foi extinto há muito tempo, sendo as vilas de Carapito e Corisseiro anexadas primeiro ao concelho de Aguiar da Beira, e depois ao de Trancoso, voltando a pertencer a Aguiar da Beira quando este concelho foi restaurado em 1898. Com a decadência do concelho de Carapito a vila da Corisseira decaiu para a categoria de lugar, tempo desaparecido o seu povoamento com o andar dos séculos devido à perda de jurisdição.
 
Caro Jofre, em primeiro lugar quero agradecer-lhe as informações. Já agora podia indicar-me alguma bibliografia onde fundamentar aquilo que acaba de me dizer? Era mais um favor que lhe ficava a dever. Já agora quero comunicar~lhe que irei colocar o seu Blog nos meus favoritos.

Abraço

Joaquim Baptista
 
Caro Joaquim:
Perto de Carapito existe uma aldeia identificada por Corticada (com cedilha no segungo c) sera que de Corisseiro tera dado Corticada?

Um abraco.
 
Seria: Cor(t)isseiro, que originou Corticada?
 
É dificil de explicar e de chegar a conclusões. Estou à espera que o Amigo Jofre me elucide acerca de bibliografia ou documentos onde se baseou. Até lá todas as hipóteses estão em aberto. A propósito vou responder á sua provocação ainda durante o dia de hoje.
Abraço egitano
 
Joaquim, a lápide tumular que existe na capela de N.ª S.ª do Monte do Carmo é a que o Joaquim nos mostra no seu bloogue e que parece vir em Tabardo.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?