13 de novembro de 2006

 

I ENCONTRO DE PATRIMÓNIO RAIANO CENTROS HISTÓRICOS DE FRONTEIRA



Sem qualquer desprimor para os ilustres palestrantes, é inadmissível a diminuta geografia raiana incluída no I ENCONTRO DE PATRIMÓNIO RAIANO CENTROS HISTÓRICOS DE FRONTEIRA, que vai ter lugar na cidade da Guarda nos próximos dias 16 e 17 de Novembro.

Pela consulta do Programa qualquer um fica com a ideia de que a classificação de centro histórico ainda está pouco desenvolvida e aplicada na Beira Interior. Basta identificar os locais abrangidos. Três perguntas: O que é que entendem os organizadores do encontro por património raiano? Quanto aos ‘centros’ ditos históricos: só os há em cidades e em vilas capitais de concelho? O resto é paisagem e não conta. O que é que está a fazer uma comunicação sobre o Projecto de valorização do Mosteiro de Sta Clara a Velha de Coimbra: devolver o sítio à cidade” da autoria do Artur Corte-Real? Deve ser para atenuar o efeito de fronteira mas mentes raianas. Realmente não há nada como um douto ar patrimonial vindo do litoral para educar os rústicos da fronteira.


Comments:
Bem observado sim senhora.
 
Safou-se o arquitecto Gonçalo Byrn. O vosso arquitecto Afonso anda já a exagerar na estória dos judeus , não anda?
 
Eu também acho, mas não é só ele.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?