16 de novembro de 2006

 

Epigrafia portuguesa do concelho de Idanha-a-Nova - 1



Desde Francisco Tavares Proença Júnior que é conhecida a primeira inscrição portuguesa deste concelho. Trata-se afinal de um exemplar comemorativo da construção da capela de S. Dâmaso, em Idanha-a-Velha. Revela o documento que no século XVIII o padre José António de Azevedo Robalo, natural do Sabugal e morador em Monsanto, mandou erguer esta capela em honra deste santo, que também foi papa, ainda regia o império romano do ocidente. Existe uma corrente de opinião que dá a Egitânia como berço desta personagem, embora penso eu sem muito suporte. A epigrafe foi também referida por D. Fernando de Almeida no seu livro "Egitânia: história e arqueologia". Actualmente esta capela, restaurada pelo programa das Aldeias Históricas está de portas fechadas e os índicios de degradação acentuada estão a vir ao de cima, a começar pelo telhado. Há 30 anos atráz estava aqui recolhido um pequeno núcleo museológico de materiais arqueológicos, que entretanto desapareceram de circulação, na sua maior parte estando em parte incerta. Que falta faz um catálogo de materiais arqueológicos achados em Idanha-a-Velha, só que há falta de vontade de o fazer e publicitar. Porque será?

Comments:
Só hoje quando cá vim, soube acidentalmente duma réplica para expor a bibliografia donde colhi os dados que alinhavei. Aqui vão:

D. António Caetano de Sousa, História Genealógica da Casa Real Portuguesa, tomo XII, parte I, edição de 1953;

Augusto Pinho Leal, Portugal Antigo e Moderno, volume II, edição de 1874;

Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, volume XXXIX (apêndice), edição de 1978;

A. de Almeida Fernandes, Toponímia Portuguesa (Exame a um Dicionário), 1999;

A. de Almeida Fernandes, A Toponímia da Beira Alta, revista «Beira Alta»;

José Pedro Machado, Apontamentos do Curso de Epigrafia, Onomástica e Etimologia Portuguesa, Instituto Português de Heráldica, 1999;

Portugaliae Monumenta Histórica a saeculo VIII, Academia das Ciências de Lisboa, 2 volumes.
 
O meu amigo deve saber melhor que ninguem, pois vive por ai.
O novo-riquismo arrebanha tudo quanto possa ter interesse historico.
Corre que muito desse novo-riquismo, pertence ao grupo dos "patos bravos" queria dizer excelentissimos senhores empreiteiros da construcao civil.
Vai ver que foi alguem envolvido com algumas obras da capela!

Um abraco e bom fim de semana.
 
Caro Al Cardoso, tem muita razão...
 
Quem era o padre do Sabugal?
 
José António de Azevedo Robalo, natural do Sabugal, mas residente em Monsanto em 1748, se não me engano. Pelo menos é o que nos conta a inscrição
 
Há memória da personalidade no Sabugal?
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?