20 de setembro de 2006

 

Parte da epigrafia à mão de semear
















Por causa das obras a que vão submeter o Pavilhão da Epigrafia, retiraram do seu interior todas as lápides. Tudo correcto, só um senão, uma grande parte delas está ao ar livre numa localização imprópria à sua segurança. Por favor não facilitem, e tenham mais cuidado no manuseamento de espécimes museológicas, isto de ser tudo feito pelas máquinas não é bem assim.

Comments:
Já disseeste isso ao dono da obra ?
Queres que diga? Dá-me o nº de telefone
 
Quem é o dono da obra?
 
Câmara e IPPAR
 
cambada de anormais...já passei por um filme igual. Vão dar excelentes floreiras para o jardim de um ricaço qualquer.
 
Já não há respeito pelo Património... Quem deu o curso a estes senhores "doutores"??
 
Mais uma vez parece não andar bem informado!As peças não foram retiradas do pavilhão epigráfico, eram peças que já estavam no exterior (no quintal do lagar de varas)e só o obelix as conseguia remover!! Meus amigos....mentir é pecado..........Aliás quem tem uma epigrafe a servir de floreira à porta de casa é o dignissimo criador deste blog.
 
Chamar mentidoso, sob a calada do anonimato é feio, senhor "fazedor de fretes alheio". As lápides que mostro na foto estão nesse local há menos de um mês. Se eu tenho uma lápide à porta a servir de floreira não a roubei a ninguém, e se a não dou (a quem?)a uma Instituição é para ela não sair de Idanha-a-Velha e não passar pelo que as outras estão a passar.
 
Não se preocupe com aquilo que eu tenho, porque não sou vendedor de peças arqueológicas, nem comprador. Apenas as preservo à vista de todos. Preocupe-se com aqueles que as vendem e são coniventes com outros esquemas que também estará informado, mas que não convém relatar, e dedique-se mais ao orgão que como bufo a sua actividade como agente infiltrado já teve os seus dias.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?