19 de junho de 2006

 

S. Pedro de Vila Corça

Diz-se que na parede exterior virada a sul da capela românica de S. Pedro de Vila Corça (Monsanto da Beira) existe um relógio, constituído pelas pedras que estão saídas da parede. É de acreditar?
Comments:
Interessante Capela, haveria que ir averigua-lo e ver se existe alguma verdade, eu por principio gosto de acreditar que por traz dos ditos populares, existe sempre algo de verdade.
 
se estiveram por lá 12 pedras ...
 
Sugiro que coloque à questão ao Professor Nuno Crato, professor associado do ISEG, do departamento de Matemática, Presidente da SPM e grande especialista em gnomos, astronomia e relógios solares. O seu endereço de email é: ncrato@iseg.utl.pt. Não tenha receio, certamente que será para ele um prazer esclarecer essa questão. Mas, envie-lhe fotografias de toda a frontaria, em diferentes horas do dia, devidamente anotadas e com contraste suficiente para se reconhecer a projecção da sombra das pedras salientes. Uma das fotografias deve ser captada ao meio dia solar, quando não há projecção de sombra, das pedras salientes. Como sabe, de acordo com Paulo Pereira, Enigmas Lugares Mágicos de Portugal, Volume 2 pag. 79, Circulo de Leitores, trata-se de uma igreja românica, fundada ou refundada no século XIII, por uma comunidade cenobilítica cristã, que terá utilizado uma gruta eremítica, nas proximidades. Há uma publicação da professora Adelina(?) Salvado, que só conheço de ter folheado, sobre a igreja, que talvez refira o aspecto que levanta.
 
Realmente se tivermos em consideração que uma pedra saliente na qual o Sol vá incidindo e esta provoque sombra que se desloca mediante a posição do Sol sirva de relógio podemos dizer que nessa capela não há um relógio mas pelo menos cerca de 10.
 
Pode não ser isso. Em geral, nos relógios de Sol o gnomo era em metal, peça que pode ter desaperecido e as pedras podem marcar projecções de sombra, ou direcções de projecção, em diferentes horas do dia. Mas, só efectuando registos e observando, em várias horas do dia,e diferentes períodos do ano, com relevância para os equinócios e solestícios se poderão tirar conclusões.
 
Adelaide Salvado caro asp
 
Obrigado pela resposta ao (?).
 
Aproveito para rectificar, o ponteiro dos relógios solares tem a designação de gnómon e não gnomo.
 
"Realmente se tivermos em consideração que uma pedra saliente na qual o Sol vá incidindo e esta provoque sombra que se desloca mediante a posição do Sol sirva de relógio podemos dizer que nessa capela não há um relógio mas pelo menos cerca de 10."

A única coisa com nexo que li aqui.
Na verdade, se existisse uma lenda em que se referisse uma base para copos na parede da capela, a resposta seria a mesma...

Mas o pesssoal está sempre desesperado para mostrar a sua imensíssima erudição e conhecimentos a todos os níveis...

Bah...
 
Ai, ai tadinho do sr.Asp. O sr. Sempre com tanta erudição mas agora tão distraído.
 
É da idade...e da necessidade de férias....
"Não receio o erro, porque estou sempre disponível para o corrigir"
Bento de Jesus Caraça
 
Bem dito asp
 
Relógio ou não, deve ter sido obra de Cristãos- novos.
Os tais da Muralha da China, do Canal do Suez e da viagem á lua!

E agora estão na moda.
Até queria um (sem cauda), mas disseram- me que já não se fabricam...

:(
 
Vril Não mandes bocas encobertas ao Vítor, s.f.f.
 
http://www.mesothelioma-treatment.co.uk
mesothelioma settlement
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?